Dicas de como utilizar papéis de parede com muito estilo e sofisticação

Usar papel de parede é fácil, durável e coloca a casa na sua vibe preferida: romântica, clássica, moderna, retrô. O papel de parede transforma qualquer parede branca em uma festa de estampa e cor. Exige pouca manutenção e cria efeitos surpreendentes.

Paredes no tom de areia abraçavam a sala de TV, que também serve de quarto de hóspedes. Foram necessários três rolos de papel de parede (8,50 m x 69 cm) para cobrir a área de 9,45 m2. (foto em destaque)


Nesta sala de jantar, assinada pelos arquitetos Fernanda Abs e Fred Benedetti, o papel de parede deu início à decoração. “Optamos por um revestimento de grande efeito, com estampa de ffores e dragões estilizados em preto e branco”, diz Fernanda. Três rolos de 10 m x 68 cm forraram a área de 14,40 m². Bem trabalhada, a padronagem delineou as demais escolhas: peças de linhas simples e cores neutras. “Se a parede fosse branca, a luminária pendente Bubble, de George Nelson, não teria tanto destaque”, afrma a arquiteta.


A dona deste quarto gosta muito de artes plásticas, o que levou o arquiteto Décio Navarro a lançar mão deste papel de parede coberto de ffores de aspecto aquarelado e inspiração oriental. “Ele veste a superfície de 7,50 m² como se fosse um grande afresco e ainda evoca a sensação de primavera”, afirma Décio. Essa impressão não vem à toa: a combinação de cores da estampa é mesmo alto-astral. Para cobrir a área atrás da cabeceira, dois rolos (10 m x 50 cm, cada um) foram sufcientes.


Distribuir pitadas de romantismo pelo apartamento, na Zona Sul carioca, era a vontade do jovem casal de moradores. “Na copa, onde eles tomam o café da manhã juntos, consegui criar um clima de intimidade instalando na parede o lambri de madeira, à meia-altura, e usando esta estampa de árvores, quase imperceptível de tão delicada”, explica a designer de interiores Paola Ribeiro. Todos os materiais são bem clarinhos para ampliar a luminosidade no ambiente, uma vez que este canto fica afastado de janelas.


Local apenas de passagem, o hall aceita mais facilmente ousadias na decoração. Foi nisso que pensou a arquiteta Luciana Castro ao escolher um papel de estampa graúda, roxa, dourada e azul, para renovar a entrada deste apartamento antigo. O revestimento forrou até as portas. “Se eu as deixasse brancas, chamariam demais a atenção”, diz. Na parede de estar, a arquiteta aplicou um modelo mais discreto. “Mas pode notar que as duas estampas têm parentesco. É preciso achar uma linguagem coerente para fazer a combinação.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *